acesso a redes sociais
  • RSS
  • twitter
tabela de conversão
  • tabela de conversão
Anunciante no Portal Naval
  • anunciar no site
publicidade
Logística portuária

MRS chega à marca de 1 milhão de toneladas de cargas transportadas

15/02/2018 | 09h42
MRS chega à marca de 1 milhão de toneladas de cargas transportadas
Divulgação Divulgação

Com cerca de 85 mil TEU (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés) movimentados durante todo o ano passado, a MRS comemora a marca de 1 milhão de toneladas de cargas transportadas em caixas metálicas, um crescimento de 10% em relação ao ano anterior. Para lidar com esse aumento da demanda, a concessionária ferroviária aposta na diversificação de sua frota com soluções logísticas e novos investimentos.

“O crescimento no transporte de contêineres no Porto de Santos é de 2% ao ano desde 2014. Só a MRS tem um ritmo de crescimento de 18% ao ano em contêiner. Se a gente pegar 2013 e comparar com o fechamento do ano passado, a gente mais que duplicou o volume de contêiner pensando só Santos. O crescimento é de 220%”, destacou o gerente geral de Negócios de Carga Geral da concessionária, Guilherme Alvisi.

Diante do aumento da demanda, surgiu a dificuldade de garantir vagões para todos os contêineres que precisavam ser transportados. A partir deste problema, os executivos da MRS apostaram na criatividade de passaram a transportar as caixas metálicas em vagões gôndola.

O primeiro passo foi avaliar as dimensões e a possibilidade do transporte dos contêineres. Foram necessárias poucas adaptações, que incluiram a colocação de calços de ferro e também a pintura dos vagões. A medida foi necessária para garantir a colocação mais segura das caixas metálicas.

Em seguida, começaram os testes de carregamento por cima, assim como as análises de segurança, estabilidade, rentabilidade. Segundo Alvisi, 12 vagões gôndola já são utilizados para o transporte de contêineres e, até agora, não foi registrado nenhum acidente.

“O mercado precisa de transporte mais barato e está procurando alternativas para a redução de custos. A gente está querendo diversificar as cargas. Especialmente quando a gente olha para Santos a gente enxerga um potencial de crescimento na participação que a ferrovia pode ter. Juntando esses dois fenômenos, nós temos estratégia muito bem definida de diversificação de carga geral”, destacou Alvisi.

Outros investimentos

O investimento de R$ 11 milhões na ampliação do pátio ferroviário da MRS em Santos, que incluiu a construção de 2,5 quilômetros de linha é outro investimento que possibilitou a marca histórica da MRS. A obra foi entregue em dezembro do ano passado e vai garantir maior fluidez aos trens da concessionária.

“O que a gente conseguiu foi segregar uma linha para uso exclusivo dos nossos trens. Na Baixada, há outras concessionárias em operação e agora temos o acesso direto”, destacou Alvisi.

A inauguração do Terminal Intermodal de Jundiaí (Tiju), operado pela Contrail Logística, também é outro grande investimento da MRS. Segundo o executivo, a instalação tem capacidade para transportar até 70 mil contêineres por ano, o que vai possibilitar que o volume transportado pela concessionária quase dobre.

Também há o investimento de R$ 17 milhões na construção da nova ponte do Casqueiro, em Cubatão, o principal acesso ferroviário ao Porto de Santos.

“Adicionalmente, o sistema logístico de São Paulo tem recebido outros projetos especiais, que conferiram aumento de produtividade, como a construção da Segregação Leste, a aquisição de novas locomotivas para o sistema Cremalheira, entre outras iniciativas. Foram investidos, aproximadamente, R$ 450 milhões de 2013 a hoje neste plano de aumento de capacidade e performance”, explicou Alvisi.

A MRS também aposta em investimentos que garantem a preservação do meio ambiente e também possibilitam uma redução dos custos operacionais.

“A gente atingiu o melhor nível de eficiência energética da nossa história. A gente nunca gastou tão pouco combustível para transportar tanto. Esse indicador vem caindo e a busca por eficiência é uma condição inescapável na ferrovia, a gente está o tempo todo de olho nisso”.

Fonte: A Tribuna, 15/02/2018
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar
separador menu