Estudo liderado por brasileiro apresenta os efeitos do neurobusiness no desempenho de empreendedores.

11/06/2022 12:42

Visualizações: 175

Não é segredo que uma das maiores armas de um empreendedor de sucesso é o bom funcionamento cerebral, tanto para tomada de decisões importantes para o futuro da empresa como para elaborar estratégias de marketing efetivas e inovar no mercado. Para otimizar esses processos a ciência entra em ação, mas especificamente, o neurobusiness.

Neurobusiness é um campo derivado da neurociência comportamental que utiliza estudos acerca do comportamento cerebral no mundo dos negócios para facilitar tomadas de decisões, controle de reações a fatores externos e direcionamento de estratégias, por exemplo. Ele compreende diversas subdivisões da neurociência que estudam "negócios neuronais", algumas delas são, neuromarketing, neuroeconomia e nerogestion, que são dispostas para maximizar desempenhos.

O importante papel do neurobusiness em empresas foi objeto de um estudo intitulado "Neurobusiness e sua aplicação como forma de otimizar o negócio", publicado na edição de junho deste ano da RevistaMultidisciplinar de Ciência Latina – Prestigiada revista científica conveniado ao Grupo Redilat, respeitada rede de investigadores latino-americanos.

O artigo, liderado pelo Prof. Dr.Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues - neurocientista e diretor do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University Internacional, nos Estados Unidos – em parceria com Eduardo António de Souza Campos e Jennifer Aline Silva de Paula, ressalta a contribuição do neurobusiness para o contexto empresarial.

"A neurociência veio para mostrar o caminho ao mundo executivo.  Resultados podem ser estimulados usando o neurobusiness como fonte de conhecimento, criando novas técnicas e abordagens, esquematizando a tomada de decisão [...] O cérebro é o futuro, a revolução dos negócios." afirmam os autores.

Dentre as conclusões do estudo, destaca-se a importância da neuroplasticidade – capacidade do cérebro de se adaptar de acordo com os estímulos a que é submetido – no desenvolvimento do córtex pré-frontal – área cerebral responsável pela tomada de decisão, lógica e atenção – para isso, é necessário realizar alterações em rotinas estabelecidas para "forçar" o cérebro a sair do automático e fortalecer a cognição e criatividade, qualidades essenciais para os negócios.

" Apesar de tanta empolgação, temos que ter em mente que este é um trabalho diário, não sendo fonte de eventos miraculosos. Sabemos como estimular o cérebro, os neurotransmissores, mas o material humano é uma incógnita e o acaso é evento possível.", diz o artigo.

Além do estudo publicado, o Dr. Fabiano de Abreu irá lançar um curso, onde se aprofundará ainda mais nos estudos sobre neurobusiness e seus efeitos no mundo empresarial, o curso será lançado na Escola Europeia de Negócios, na Espanha e Bolívia em espanhol, e pela Logos University Internacional em suas versões em inglês e português.

 

 

Sobre o Prof. Dr. Fabiano de Abreu

Dr. Fabiano de Abreu Agrela, é um PhD em neurociências, mestre em psicologia, licenciado em biologia e história; também tecnólogo em antropologia com várias formações nacionais e internacionais em neurociências. É diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), Cientista no Hospital Universitário Martin Dockweiler, Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, Membro ativo da Redilat - La Red de Investigadores Latino-americanos, do comitê científico da Ciência Latina, da Society for Neuroscience, maior sociedade de neurociências do mundo nos Estados Unidos e professor nas universidades; de medicina da UDABOL na Bolívia, Escuela Europea de Negócios na Espanha, FABIC do Brasil, investigador cientista na Universidad Santander de México e membro-sócio da APBE - Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva.

Fale Conosco

Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

10