Projeção

Indústria de óleo e gás vai investir mais de R$ 100 bi por ano e gerar cerca de 500 mil empregos até 2025, diz ABESPetro

Associação faz o maior levantamento do primeiro elo da cadeia produtiva do petróleo e mostra seu papel na transição energética

Assessoria
02/08/2022 14:34
Indústria de óleo e gás vai investir mais de  R$ 100 bi por ano e gerar cerca de 500 mil empregos até 2025, diz ABESPetro Imagem: Divulgação Visualizações: 106

A Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Petróleo (ABESPetro) lança nesta quarta-feira (02) o Caderno ABESPetro 2022. A publicação é o maior levantamento feito sobre o primeiro elo da cadeia produtiva do petróleo, na qual estão situadas as empresas que fornecem bens e serviços diretamente para as petroleiras. As maiores empresas do mundo neste segmento estão hoje presentes no Brasil, atraídas pela relevância do país na indústria petrolífera, sobretudo no ambiente offshore.

O raio-x, elaborado com apoio da consultoria Deloitte, analisa todo o sistema de fornecedores da indústria brasileira de óleo e gás, descreve sua dinâmica, traz indicadores econômicos inéditos e apresenta agenda propositiva para o desenvolvimento nos próximos anos.

Rodrigo Ribeiro, presidente da ABESPetro, afirma que a publicação demonstra como o setor será fundamental para o sucesso da transição energética, a mudança estrutural da matriz de energia que precisa ser realizada de forma progressiva e socialmente responsável.

"A mola propulsora da transição energética não deve ser a restrição na oferta de hidrocarbonetos, mas sim a redução da demanda decorrente do aumento da disponibilidade de energia renovável e de tecnologias disruptivas, algumas delas ainda indisponíveis. Qualquer tentativa de inverter essa lógica resultará em retrocesso no processo de transição e no acesso da população à energia", afirma Ribeiro, em mensagem no Caderno.

O Caderno ABESPetro 2022 mostra que a indústria de petróleo e gás no Brasil já anunciou investimentos que somam, em média, R$ 102 bilhões ao ano em exploração e produção até o ano de 2025. Com este capital, a expectativa é gerar cerca de 500 mil novos empregos na atividade de exploração e produção de petróleo e gás, o chamado upstream, nos próximos três anos. Hoje, são cerca de 340 mil postos de trabalho nesse segmento do setor.

De acordo com a publicação, além da geração de emprego e de renda, o setor contribuiu com arrecadação de R$ 104 bilhões apenas no ano de 2021, segundo cálculo realizado pela Deloitte. Este valor considera a soma de bônus de contratações de blocos exploratórios, royalties, participações especiais, tributos, dividendos distribuídos pela Petrobras e a parcela da União proveniente do regime de partilha do pré-sal.

O mapeamento realizado pelo Caderno ABESPetro 2022 confirma o Brasil como candidato a continuar sendo um centro relevante produtor de óleo e gás em esfera global por razões sociais, econômicas e ambientais. Segundo o presidente da associação, a qualidade dos reservatórios existentes faz do Brasil um dos países com mais baixo nível de emissão de gases do efeito estufa por barril de petróleo produzido.

Thelmo Ghiorzi, secretário-executivo da associação, destaca que "a disponibilidade de recursos naturais só se transforma em benefício econômico se eles forem, além de extraídos, utilizados para alavancar o desenvolvimento tecnológico e o crescimento da atividade industrial do país".

 

Desafios e propostas

O primeiro Caderno ABESPetro foi publicado em 2017 e contribuiu para a superação dos desafios que, então, se apresentavam. A nova publicação traz as atuais tendências e os novos desafios a serem superados pelo setor, incluindo questões relacionadas à pandemia de Covid-19, à guerra na Ucrânia e à necessidade de acelerar o processo de transformação digital do setor.

Além disso, o Caderno ABESPetro 2022 propõe como meta o uso pleno dos recursos produtivos do setor, ou seja, de suas unidades fabris, de seus centros de tecnologia e dos profissionais formados ao longo de décadas de desenvolvimento da atividade no Brasil. O objetivo da associação é fomentar empregos e investimentos no setor, formando, assim, um círculo virtuoso de desenvolvimento sustentável.

A publicação apresenta sugestões de instrumentos para o uso pleno desses recursos produtivos, como o fomento à transição energética por meio de incentivos à produção de gás; a aceleração da produção, com a agilização de leilões de blocos exploratórios; estabilidade e ampliação do Repetro; e aprimoramentos dos instrumentos de incentivo à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PDI) e de Conteúdo Local (CL). Sobre PDI e CL, Ghiorzi aponta que "aprimoramentos nestes instrumentos serão os grandes indutores de conteúdo local por mérito, não por imposição regulatória".

De acordo com o Caderno ABESPetro 2022, a estabilidade operacional do setor e a geração de empregos e riqueza nos próximos anos passam pela definição de um calendário plurianual de leilões, incluindo blocos atraentes em regiões desenvolvidas e a desenvolver, como a Margem Equatorial. O regime tributário especial também é fundamental para viabilidade econômica dos investimentos em exploração para a promoção do desenvolvimento econômico e social.

"O Caderno ABESPetro 2022 traz uma agenda propositiva para o segmento de exploração e produção que consideramos importante ser levada em consideração pelos candidatos nas eleições de outubro", afirma Rodrigo Ribeiro.

Mais Lidas De Hoje
Veja Também
Newsletter TN

Fale Conosco

Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

7