acesso a redes sociais
  • RSS
  • twitter
tabela de conversão
  • tabela de conversão
Anunciante no Portal Naval
  • anunciar no site
Logística

Setores produtivos do Rio Grande do Sul aprovam navegação interior

29/10/2018 | 18h04
Setores produtivos do Rio Grande do Sul aprovam navegação interior
Divulgação Divulgação

O Contesc, terminal de navegação interior para contêineres do Grupo Wilson Sons, movimentou 27.640 TEU nos primeiros oito meses do ano, um aumento de 127% em relação ao mesmo período de 2017. Entre as principais cargas movimentadas estão congelados, resinas, glicerina, utensílios domésticos, partes e peças, móveis, compensados e sucata.

O crescimento na movimentação revela que o transporte fluvial vem atraindo as empresas da região, que enxergam no modal uma série de benefícios. É o caso da Arlanxeo, maior produtora de borracha sintética do mundo e cliente do Tecon Rio Grande há mais de 20 anos. “A navegação interior apresenta custo atrativo, além de ser mais sustentável, com menor emissão de CO2”, destaca Sandro Sabka, Logistics Management da empresa.

A Duratex, uma das maiores produtoras de painéis de madeira industrializada do hemisfério Sul, aderiu à navegação interior há um ano e aponta o modal como uma saída para o gargalo das rodovias. “Acreditamos que é um transporte inovador e sustentável, o que tem muito a ver com a empresa. A proximidade geográfica do Contesc com a nossa unidade de Taquari também nos permite ter alto índice de aproveitamento dos caminhões que fazem o giro entre a fábrica e o terminal, além de reduzir o risco de avarias”, conta Ricardo Mendes Marques, coordenador de Logística Internacional.

Outra defensora da navegação interior é a Reflorestadores Unidos, produtora de madeira, que contratou o serviço no início do ano. “Quebramos um paradigma e adotamos o sistema multimodal tão utilizado em outros países. Temos maior flexibilidade com os gates e não enfrentamos problemas com as greves no modal rodoviário”, afirma Cassiano De Zorzi, diretor de Operações. De acordo com ele, um item-chave para o contrato foi poder contar com o terminal de Triunfo. “Mandar nossa carga diretamente para Rio Grande é totalmente inviável em virtude de nossa localização na região norte do estado”, explica.

Em fevereiro, o Contesc ganhou uma nova embarcação para atender ao crescimento da movimentação de cargas entre Triunfo e Rio Grande. Com capacidade de 150 TEU, a Trevo Roxo opera junto com a barcaça Guaíba de 170 TEU, que ao longo de 2017 registrou índices de ocupação superiores a 95%. As cargas movimentadas – de importação, exportação e cabotagem – têm como origem ou destino as cidades de Farroupilha, Carlos Barbosa, Garibaldi, Caxias do Sul, Veranópolis, Cruz Alta, Lajeado, Serafina Corrêa, Triunfo, entre outras.

Antigo Terminal de Santa Clara Píer IV, a unidade foi reinaugurada com nome de Contesc em 2016, após sete anos fechada. Com capacidade de 100 mil TEU, o terminal está a 360 km do Porto do Rio Grande, em uma região com grande potencial no Rio Grande do Sul, um mercado de 180 mil TEU em um raio de 120 km.

Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar
separador menu