Evento SPE

Workshop SPE Brasil de Campos Maduros Offshore: revitalizar é uma questão estratégica

Macaé sedia mais uma vez o Workshop SPE Brasil de Campos Maduros Offshore, que reúne os especialistas da cadeia produtiva de óleo e gás no país.

Redação TN Petróleo/Beatriz Cardoso
28/05/2024 15:40
Workshop SPE Brasil de Campos Maduros Offshore: revitalizar é uma questão estratégica Imagem: Agência Petrobras Visualizações: 215 (0) (0) (0) (0)

A segunda edição do II Workshop SPE Brasil de Campos Maduros Offshore (WCMO), que começou hoje (28) e se encera amanhã (29), vai debater os desafios na revitalização desses ativos e destacar os avanços tecnológicos que já asseguraram premios internacionais à indústria brasileira de óleo e gás – como o OTC Awards 2024, concedido à Petrobras este mês, pelo conjunto de inovações implementadas no campo de Marlim, há ais de três deadas em operação na bacia de Campos.

Com o tema “Estendendo a vida útil dos reservatórios e maximizando os recursos de forma sustentável”, o evento reúne executivos e especialistas de petroleiras nacionais e estrangeiras, como Petrobras, Shell, PRio, 3R Petroleum, Equinor, GALP, Petronas, BW Energy,  e forncedoras de bens e serviços, como SLB, Constellation, OneSubsea, ESSS O&G, entre outras.

São cinco sessões técnicas cobrindo as áreas de Integridade Topside, Poços, Subsea, Geociências e uma dedicada ao gigante campo de Tupi, na bacia de Santos, mostrando lições aprendidas e perspectivas deste empreendimento em produção há 15 anos no pré-sal.

Promovida pela Society of Petroleum Engineers - SPE Seções Brasil e Macaé, o maio evento técnico sobre campos maduros tem como chairs especilistas na área: o gerente executivo de Águas Profundas da Petrobras, Paulo Marinho, o diretor da 3R Petroleum, Mauricio Diniz, o diretor de Operações da PRIO, Francilmar Fernandes, e o gerente geral da Unidade de Negócios da Bacia de Campos (UN-BC), Alex Murteira, que faz a sessão de encerramento.

“Produzir petróleo a partir de campos maduros é estratégico e necessário. Precisamos aumentar a nossa eficiência e reduzir a nossa pegada de carbono. Não é razoável deixar na rocha um recurso que a natureza levou milhões de anos para gerar. E é uma questão estratégica porque o petróleo de um campo maduro é (ou deveria ser) mais barato e tem risco muito baixo: sei onde está, sei como produzi-lo e sei o que não devo fazer outra vez”, pontua o presidente da SPE Brasil, Carlos Alberto Pedroso.

“Investir em campos maduros demanda menos capital e o óleo produzido tem uma ‘pegada’ de emissão de gases menor do que a média, pois toda a infraestrutura com poços e sistemas de produção já estão prontos. Competência o Brasil já evidenciou que tem, a premiação da Petrobras na OTC 2024 pela extensão do Campo de Marlim é uma evidência”, complementa Guilherme Castro, da SPE Macaé.

O II Workshop SPE Brasil de Campos Maduros Offshore (WCMO) tem  patrocínio da Petrobras (Diamante), SLB, PRIO e Halliburton (Platina), 3R Petroleum, WB Energy e Constellation (Ouro), FutureOn, ESSS O&G e Evolve Surplus (Prata), e apoio da TN Petroleo e Norwep.

Veja a programação aqui https://wcmo.spemacae.org/sobre-o-wcmo/

Mais Lidas De Hoje
Veja Também
Newsletter TN

Fale Conosco

Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

20