acesso a redes sociais
  • RSS
  • twitter
tabela de conversão
  • tabela de conversão
Anunciante no Portal Naval
  • anunciar no site
Desinvestimento Petrobras

Ativo de E&P na Colômbia é colocado à venda pela Petrobras

16/09/2020 | 14h59
Ativo de E&P na Colômbia é colocado à venda pela Petrobras
TN Petróleo TN Petróleo

A Petrobras informa o início da fase vinculante referente à venda da totalidade de sua participação em porção exploratória do Bloco Tayrona, localizado na Bacia de Guajira, Colômbia.

Os potenciais compradores habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para a realização de due diligence e para o envio das propostas vinculantes.

A presente divulgação está de acordo com as normas internas da Petrobras e com as disposições do procedimento especial de cessão de direitos de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos, previsto no Decreto 9.355/2018.

Essa operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhora de alocação do capital da companhia, visando a geração de valor para os seus acionistas.

Revista TN PetróleoSobre o Bloco Tayrona

O Bloco Tayrona está localizado no litoral nordeste da Colômbia, em águas profundas da Bacia de Guajira. A Petrobras, que é operadora da área, detém 44,44% de participação na concessão¹ por meio da sua afiliada Petrobras International Braspetro B.V. (PIB-BV), em consórcio com a Empresa Colombiana de Petróleo S.A (Ecopetrol), que detém os demais 55,56% de participação.

A concessão encontra-se na fase Programa Exploratório Posterior 1 (PEP1) com compromisso exploratório remanescente de perfuração de um poço, com potencial para comprovar volumes significativos de gás (world class prospects) e estabelecer posição em uma área de nova fronteira. A área apresenta similaridade com descobertas nas margens do Atlântico Sul e Caribe.

¹ A participação da Petrobras hoje é de 40%. Está em trâmite a absorção dos 10% da companhia Equinor proporcionalmente pela PIB-BV (4,44%) e pela Ecopetrol (5,56%), que deverá ser aprovada pela Agência Nacional de Hidrocarburos.

Fonte: Redação TN Petróleo, Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar
separador menu